Notícias

Oficiais de justiça de Goiás participam de assembléia geral conjunta no Tocantins

1 Mins read

Representantes dos Oficiais de Justiça de Goiás, Espírito Santo, Tocantins, Ceará, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso estiveram reunidos para a Assembléia Geral Conjunta entre a Federação Nacional dos Oficiais de Justiça do Brasil (Fenojus) e da Federação das Entidades Sindicais dos Oficiais de Justiça do Brasil (Fesojus). A comitiva foi recebida pelo presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Tocantins (Sindojus-TO), Roberto Faustino e por sua esposa, Michele.O encontro aconteceu em Palmas, de 25 a 28 de agosto, no auditório da Ordem dos Advogados do Tocantins. O presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores de Goiás (Sindojusgo), Moizés Bento acompanhado do vice-presidente, Leandro Alves e do advogado Gleidson Emanuel de Araujo informou que vários encaminhamentos foram aprovados durante a Assembléia. Entre eles, sobre a PL- 030 de 2007 que trata do porte de armas para os oficiais de justiça e também sobre o pedido da suspensão da Resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) n. 219/2016 que prevê medidas para redistribuição de servidores e as respectivas dotações orçamentárias com objetivo de priorizar a força de trabalho do primeiro grau da Justiça. “A intenção é pedir a suspensão da resolução no que tange os oficiais de justica. Queremos que cada Estado faça um estudo individual redistribuindo os profissionais para que o enquadramento seja satisfatório para a categoria”, explica Moizés. O grupo ainda fez um estudo com apontamentos e sugestões para o texto do novo Código de Processo Penal que está em tramitação no Senado. Congresso Nacional Os representantes dos Oficiais de Justiça aproveitaram para criar estratégias de fiscalização e enfrentamento referente a assuntos de interesse da categoria e que estão em tramitação no Senado e na Câmara dos Deputados, em Brasília. “Não vamos ser omissos às causas que julgamos essenciais para a nossa categoria. Vamos priorizar o acompanhamento do PL-030 para que o porte de arma para o oficial de justiça seja aprovado. Além disso, nos posicionamos contra a reforma da previdência e estamos atentos às demais reformas que possam surgir”, ressalta o presidente do Sindojusgo.

Matérias relacionadas
ASSEMBLEIAEventosGaleriaNotíciasPLEITOS

DE CASA NOVA: Oficialato Goiano é presenteado com uma grande conquista

Depois de cinco anos e um trabalho cuidadosamente realizado, economia e atitudes assertivas, o Oficialato Goiano agora conseguiu realizar a aquisição de…
Notícias

REGRA DE TRANSIÇÃO PARA FINS DE APOSENTADORIA

EMENDA CONSTITUCIONAL ESTADUAL 65/2019 – LEI COMPLEMENTAR 161/2020 Este informativo tratará de forma simplificada sobre a regra de transição para concessão de…
Notícias

Informativo O DILIGENTE - 1º semestre do ano

Caras amigas e amigos, Oficialas e Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de Goiás, Federação das Entidades Sindicais dos Oficiais de Justiça…
Inscreva-se no nosso informativo virtual

fique por dentro das novidades e receba nossa revista eletrônica mensal