Notícias

Nota pública

3 Mins read

O Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de Goiás – SINDOJUS-GO, entidade sindical de representação dos Oficiais de Justiça Avaliadores de Goiás, vem a público manifestar sobre a implantação da Gratificação Judiciária (GJ) proposta pela Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

 Como integrante do Conselho Permanente de Política Salarial, o SINDOJUS-GO atua na defesa dos interesses da categoria dos Oficiais de Justiça, e em alguns casos dos demais servidores, em todas as tratativas para elaboração de um projeto de modernização do Plano de Cargos e Salários, atual Lei 17.663/2012.

 Foram apresentadas reivindicações e propostas de melhoria salarial, condições de trabalho e de carreira dos Oficiais de Justiça, inclusive com a participação de vários associados, em reunião com o presidente do Conselho Permanente de Política Salarial Desembargador Itamar de Lima. O desembargador sempre atendeu os representantes do sindicato e se mostrou favorável aos pleitos apresentados, sendo que seus trabalhos foram concluídos em dezembro de 2017 e encaminhados para o presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Gilberto Marques  que por sua vez remeteu o material a uma comissão de Assessores Especiais da Presidência do Tribunal.

 Dentre todos os pleitos apresentados pelo SINDOJUS-GO os seguintes foram acatados:

 1)   Que a Gratificação Judiciária incida sobre o vencimento do servidor no nível e classe que se encontra, conforme consta do inciso XIII do Art. 4º;

 2)   A implantação da licença para aprimoramento profissional, sem prejuízo de sua remuneração, com alguns acréscimos realizados pela comissão, conforme consta do Art. 2º do projeto de lei;

 3)   A possibilidade de “venda” de férias e licença prêmio, com alguns acréscimos realizados pela comissão, conforme consta dos Artigos 4º e 5º do projeto de lei.

 Pleitos específicos da categoria, como a nomenclatura “Oficial de Justiça”, majoração do índice do risco de vida, gratificação de atividades externa e indenização pelo exercício do plantão não foram atendidos. Devido a isso entendemos que o projeto está aquém do que foi propagado e daquilo que os Oficiais de Justiça de Goiás e demais servidores merecem.

 No dia 05/03/2018, a Diretoria Executiva do SINDOJUS-GO se reuniu e decidiu por unanimidade REITERAR AS REIVINDICAÇÕES, apresentadas junto ao Conselho Permanente de Política Salarial. A intenção é continuar atuando durante a tramitação do projeto de Lei junto aos desembargadores que compõem à Corte Especial.

 Apesar de o SINDOJUS-GO não reconhecer que a minuta de projeto de lei seja um Plano de Cargos e Salários, entende essa Entidade Sindical que a Gratificação Judiciária (GJ), proposta pelo Tribunal de justiça de Goiás no percentual de 25% (vinte e cinco por cento) sobre o vencimento do servidor de carreira, beneficiará a todos os Oficiais de Justiça ativos e inativos.

 Além disso, durante os debates ocorridos na Corte Especial, ficou claro que a maioria dos desembargadores e desembargadoras manifestaram-se favoráveis pela implantação da Gratificação Judiciária (GJ).

 Desse modo, mesmo que a Corte Especial tenha deliberado pelo encaminhamento do projeto de lei para a apreciação da Comissão de Regimento e Organização Judiciária do TJ, já é de conhecimento de todos que o retorno do projeto à Corte Especial ocorrerá rapidamente.

 Em reunião realizada pelo SINDOJUS-GO no dia 08/03/2018, o Presidente da Comissão de Regimento e Organização Judiciária, Desembargador Leobino Chaves Valente, reafirmou ser favorável a implantação da Gratificação Judiciária e que vai apreciar os pedidos apresentados pela SINDOJUS-GO e demais entidades. O desembargador se comprometeu a dar total celeridade aos estudos da comissão, que se reunirá na próxima segunda –feira (12/03) para deliberar e retornar o projeto de lei à Presidência do TJ, afim de não prejudicar os servidores efetivos.

 Até a votação, o SINDOJUS-GO continuará buscando incansavelmente a implementação das reivindicações da categoria e a necessária agilidade do projeto na Corte Especial.

 Portanto, o SINDOJUS-GO, por meio de sua Diretoria Executiva, entende que não é o momento da categoria dos Oficiais de Justiça aderir ou adotar qualquer movimento paredista até decisão da Corte Especial prevista para a próxima sessão, sem prejuízo de adoção das medidas necessárias para a realização de greve. Atenciosamente, Diretoria do SINDOJUS-GO: Moizés Bento dos Reis – Presidente Eleandro Alves Almeida – Vice-presidente Alessandro Gonçalves Barbosa – Diretor Financeiro José Moizaniel Formiga Dias – Diretor Jurídico Divino Lopes de Jesus – Diretor de Núcleo de Ações Sindicais Isabella Lieberenz Camilo Kagan – Secretária-geral Victor Gadelha Nunes – Diretor de Núcleo de Comunicações

Matérias relacionadas
CoronavírusNotíciasSTJ

STJ autoriza citação por WhatsApp desde que comprovada identidade

Há mais de um ano convivendo com a pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) a rotina dos Oficiais e Oficialas de Justiça tem…
EventosNotíciasTJGO

Oficiais de Justiça são ouvidos pelo SINDOJUS-GO sobre projeto de reestruturação das comarcas

Você precisa iniciar uma sessão de usuário para visualizar esta página. Por favor, Faça login. Você ainda não possui uma conta de…
FESOJUSNotíciasVacinação

Vacinação prioritária: tudo o que você precisa saber!

Reprodução: FESOJUS-BR Veja aqui o vídeo da reunião citada no e-mail entre o interlocutor do Ministério da Saúde, Dr. Laurício Monteiro e os representantes da FESOJUS-BR, João Batista (presidente) e Luiz…
Inscreva-se no nosso informativo virtual

fique por dentro das novidades e receba nossa revista eletrônica mensal