Notícias

Goiânia sediará o II Congresso Nacional dos Oficiais de Justiça

2 Mins read

O primeiro Congresso Nacional dos Oficiais de Justiça – I CONOJUS, aconteceu na última semana na cidade de Vitória, no Espírito Santo. Realizado pela Federação das Entidades Sindicais dos Oficiais de Justiça do Brasil – Fesojus, o evento contou com palestras e debates que discutiram os principais problemas da categoria em âmbito nacional. Mais de 200 oficiais de justiça participaram do evento. O presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça de Goiás, Moizés Bento ficou impressionado com a estrutura e qualidade das palestras ministradas no Congresso. ˜Foi enriquecedor trocar experiências com profissionais de praticamente todos os estados brasileiros. Percebemos o quanto podemos aprender e também ensinar aos colegas. Estamos ansiosos para o próximo congresso˜, explica Moizés que aproveitou para anunciar que Goiânia foi a cidade escolhida para sediar o próximo Congresso Nacional dos Oficiais de Justiça. Segundo o presidente da Fesojus, João Batista Fernandes, a ideia é realizar anualmente o CONOJUS em diferentes Estados e Regiões do Brasil, levando conhecimento e atualização jurídica aos oficiais de justiça de todo o País. “Com este evento, queremos garantir que todos tenham voz e possam ter o apoio de nossa entidade. Em 2019 estaremos em Goiás para termos mais um ciclo de palestras e troca de experiências”, esclarece. O evento Os participantes do I CONOJUS tiveram a oportunidade de ouvir o Procurador do Município de São Paulo, Kheyder Loyola sobre a busca de novas atribuições para o cargo de Oficial de Justiça face a virtualização processual. Já na palestra do Conselheiro do CNJ, Valdetário Andrade foi possível discutir sobre a possibilidade de padronização dos atos dos Oficiais de Justiça pelo CNJ e novas atribuições face a virtualização da justiça. ” Durante o encontro os palestrantes rebateram os comentários a cerca das perdas as atribuições dos oficiais diante da digitalização. Mas ressaltaram que o que se têm percebido é que os atos de comunicação podem diminuir, mas os atos executórios, que envolvem a humanização das decisões, jamais vão se extinguir. O judiciário tem que ver as pessoas, sentir as pessoas e o oficial de justiça é a porta de entrada”, finaliza o presidente do Sindojusgo. O vice-presidente do Sindojusgo, Eleandro Alves, o advogado, Gleidson Emanuel e o oficial de justiça, Edio Ferreira dos Santos também participaram

oConojus representando o estado de Goiás.

Matérias relacionadas
CoronavírusNotíciasSTJ

STJ autoriza citação por WhatsApp desde que comprovada identidade

Há mais de um ano convivendo com a pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) a rotina dos Oficiais e Oficialas de Justiça tem…
EventosNotíciasTJGO

Oficiais de Justiça são ouvidos pelo SINDOJUS-GO sobre projeto de reestruturação das comarcas

Você precisa iniciar uma sessão de usuário para visualizar esta página. Por favor, Faça login. Você ainda não possui uma conta de…
FESOJUSNotíciasVacinação

Vacinação prioritária: tudo o que você precisa saber!

Reprodução: FESOJUS-BR Veja aqui o vídeo da reunião citada no e-mail entre o interlocutor do Ministério da Saúde, Dr. Laurício Monteiro e os representantes da FESOJUS-BR, João Batista (presidente) e Luiz…
Inscreva-se no nosso informativo virtual

fique por dentro das novidades e receba nossa revista eletrônica mensal