Notícias

SINDOJUS-GO REQUEREU CNJ RETIRADA DE ART. QUE VIOLAM PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO PROV 44/20 DA CGJ

3 Mins read

O SINDOJUS-GO, no dia 24/11/20 protocolizou o PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO C/C PEDIDO LIMINAR DE SUSPENSÃO DOS §§ 7º E 8º DO ART. 492 DA CONSOLIDAÇÃO DOS ATOS NORMATIVOS junto ao CNJ. A Corregedoria – Geral da Justiça do Estado de Goiás, em decorrência de sugestão realizada pela Coordenadoria Judiciária da Diretória do Foro da Comarca de Goiânia – GO, editou no dia 10/11/2020 o PROVIMENTO n.º 44/2020. O provimento acrescentou os parágrafos 7º e 8º ao Art. 492 da Consolidação dos Atos Normativos, com os seguintes teores normativos:

§7º O ressarcimento devido ao oficial de justiça pelas despesas referentes aos deslocamentos necessários para o cumprimento do mandado será limitado ao valor máximo correspondente a 03 (três) locomoções, ressalvadas as autorizações realizadas pelo magistrado, desde que devidamente fundamentada.§8º O limite de três locomoções por mandado deverá ser observado inclusive nos casos em que o oficial de justiça tome conhecimento de mudança de endereço da parte. Ultrapassado esse limite, a alteração de endereço deverá ser informada nos autos por quem obtiver a informação, seja o advogado, por petição, ou o oficial, por certidão, para a expedição de novo mandado.

Deste modo, o SINDOJUS-GO requereu:

a) Com fulcro no inciso XI do artigo 25 c/c artigo 99, ambos do Regimento Interno, diante da probabilidade do direito, do perigo de dano e do risco ao resultado útil do processo de vários jurisdicionados com a devolução em massa de mandados, que seja deferido, inaudita altera pars, medida liminar suspendendo os efeitos dos §§ 7º e 8º acrescidos ao Art. 492 da Consolidação dos Atos Normativos com a edição do PROVIMENTO n.º 44/2020, até julgamento do mérito;

b) Que seja deferido inaudita altera pars, diante da probabilidade do direito, do perigo de dano e do risco ao resultado útil do processo de vários jurisdicionados com a devolução em massa de mandados, o restabelecimento do ressarcimento devido ao oficial de justiça pelas despesas referentes aos deslocamentos necessários para o cumprimento do mandado, mediante a detida certificação de todo o ocorrido para o cumprimento da ordem judicial, com o lançamento nas certidões das diligências realizadas com menção ao lugar, ao dia e à hora, com fulcro no inciso I do artigo 154 do CPC e na Fé Pública, já que o pagamento é suportado pela parte, bastando o lançamento das certidões das diligências nos autos, conforme posicionamento adotado por esse Colendo Conselho no PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO – 0006099-98.2009.2.00.0000, até julgamento do mérito;

c) Diante do encaminhamento para todos os magistrados de Goiás do OFÍCIO CIRCULAR N. 535/2020 (ANEXO), comunicando a edição do PROVIMENTO n.º 44/2020, que seja determinado à Corregedoria – Geralda Justiça de Goiás, a edição de novo OFÍCIO CIRCULAR aos magistrados, comunicando o deferimento da medida liminar aqui pleiteada, suspendendo os efeitos dos §§ 7º e 8º acrescidos ao Art. 492 daConsolidação dos Atos Normativos, até julgamento do mérito; 

d) No mérito seja julgado procedente o pedido aqui estampado, declarando a nulidade dos §§ 7º e 8º acrescidos ao Art. 492 da Consolidação dos Atos Normativos com a edição do PROVIMENTO n.º 44/2020 e restabelecido o ressarcimento devido ao oficial de justiça pelas despesas referentes aos deslocamentos necessários para o cumprimento do mandado, mediante a detida certificação de todo o ocorrido para o cumprimento da ordem judicial, com o lançamento nas certidões das diligências realizadas com menção ao lugar, ao dia e à hora, com fulcro no inciso I do artigo 154 do CPC e na Fé Pública, já que o pagamento é suportado pela parte, bastando o lançamento das certidões das diligências nos autos, conforme posicionamento adotado por esse Colendo Conselho no PROCEDIMENTODE CONTROLE ADMINISTRATIVO – 0006099-98.2009.2.00.0000;

e) Que seja notificado a CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, para responder ao presente procedimento, no prazo de 15 (quinze) dias – RI-CNJ, artigo 94;

f) Pretende provar o alegado por todos os meios de prova admitidos em direito, especialmente pelos documentos que instruem essa exordial e, caso necessário à instrução probatória, que sejam requisitados documentos ao Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

Matérias relacionadas
Notícias

Agressor usava celular da vítima para pedir suspensão de medida protetiva

Um caso atípico serve de alerta para o Oficialato de Justiça no que diz respeito às comunicações por aplicativos de mensagens. Um…
CONOJUSNotícias

Comitiva visita presidente da OAB-PI

O presidente do Sindojus PI, Carlos Henrique Bezerra Sales; o presidente da Fesojus, dr. Eleandro Alves, o vice-presidente da CSB do Brasil,…
Notícias

NOTA PÚBLICA

O Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de Goiás repudia, veementemente, os atos contra a democracia e ao Estado Democrático…
Inscreva-se no nosso informativo virtual

fique por dentro das novidades e receba nossa revista eletrônica mensal