de outros sites

Oficiala de Justiça é mantida em cárcere privado durante cumprimento de mandado em São Paulo

1 Mins read

Reprodução na íntegra: aojustra.org.br

Uma Oficial de Justiça do TRT-2 foi mantida em cárcere privado durante o cumprimento de um mandado de penhora em São Paulo.

O fato aconteceu no dia 28 de junho, quando a servidora compareceu ao local acompanhada de um advogado. Segundo a certidão de devolução do mandado, após um impasse quanto aos dados da empresa instalada no prédio, a Oficiala de Justiça e o advogado foram conduzidos para uma sala para que fossem recebidos pelo gerente da empresa.

De acordo com ela, enquanto aguardava o retorno de uma ligação da coordenadora da Central de Mandados, o gerente entrou perguntando se alguém havia visto as chaves da porta de entrada do prédio, pois a mesma estava trancada e não localizavam as chaves. “Diante dessa situação, estávamos presos no local, não havia outra chave para abrir a porta, e assim poder sair dali”, conta.

O SINDOJUS-GO repudia qualquer tipo de violência aos profissionais que estão a serviço da sociedade, assim como o Oficial de Justiça que sofre com esta exposição em sua rotina. Ordinariamente, o cumprimento de ordem judicial pode motivar conflitos, promovendo sua vulnerabilidade. Esta é mais uma situação que demonstra a importância do desenvolvimento de políticas de segurança e investimento em equipamentos de proteção ao Oficialato de Justiça Brasileiro.

A Polícia Militar foi acionada para comparecer no local, bem como o proprietário da empresa. “A tensão no local só aumentava, uma vez que a porta trancada e as chaves sumiram; sem chave reserva no local da porta de entrada (única porta de acesso ao local); que estava vindo para a empresa o dono, com o qual o advogado havia discutido”, relata.

Com a chegada do dono da empresa e dos policiais militares, a porta de entrada foi aberta, assim como o portão do local para que a Oficiala e o advogado pudessem sair.

Ainda de acordo com a certidão, a Oficiala de Justiça ficou presa na empresa por cerca de uma hora.

Da assessoria de imprensa, Caroline P. Colombo
Foto ilustrativa

Matérias relacionadas
de outros sitesEJUGTJGO

EJUG publica edital para curso de Formação de Instrutores em Mediação e Conciliação Judicial

#repost EJUG TJGO A Escola Judicial do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (Ejug) divulga o Edital Ejug n.º 03/2022, que dispõe…
Conjurde outros sitesTecnologia

Tecnologia e metaverso: a primeira atuação da Justiça brasileira no metaverso

#Repost: Conjur Por Raphael Ricci Portella O avanço da tecnologia sempre proporciona desafios para o Direito. Atualmente, um dos desafios é o…
de outros sitesTJGO

TJGO transfere para 25 de julho feriado comemorativo à fundação da cidade de Goiás

#repost: TJGO O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Carlos França, transferiu para o dia 25 de…
Inscreva-se no nosso informativo virtual

fique por dentro das novidades e receba nossa revista eletrônica mensal